Arquivo de dezembro, 2007

Gestão Competente: educação sem apadrinhados

Por Flávio Tonnetti

Esta semana, uma minuta, que chegou às diretorias de ensino, alarmou grande parte dos profissionais da educação. O documento, do governo estadual, informa sobre como serão selecionados no próximo ano cargos que hoje são ocupados, na educação pública, por indicação política. Ainda não publicada em Diário Oficial, acredita-se que antes de dar as cartas definitivamente, a cúpula do governo pretende avaliar os ânimos daqueles que serão afetados por tais medidas – que obrigarão, por exemplo, que cargos de gestão sejam obrigatoriamente ocupados por profissionais concursados, e obrigando mesmo os que já efetivos a se submeter a uma prova específica caso queiram permanecer onde estão. Evidente que tal medida vai tirar muita gente do jogo. Ler mais »

Sobre um painel “fofinho” II

Por Flávio Tonnetti

Parte II

*

Na quinta série F, a sala ao lado da quinta G, o painel fofinho está rasgado. Apenas um pequeno pedaço traz a lembrança bucólica do painel bonito. Atrás do painel revela-se uma lousa velha, nunca usada. Nem neste caso, nem no outro. São apenas suportes para sonhos que não existem. Mas, nesta sala, as pichações ocupam tudo. No teto, cones de papel, colados com chiclete, dão um ar tétrico à instalação.

Os sonhos estão arrasados. Ler mais »

Sobre um painel “fofinho”

Por Flávio Tonnetti

Parte I

*

Conheci uma escola numa cidade grande, cinza e esquecida: uma escola numa cidade sem graça. Uma escola que era sem graça como a cidade. Uma escola, enfim, como todas as escolas…

Numa das salas, uma quinta série G, havia uma painel colorido. Era um painel com belas fotos e recortes de revista. Uns coqueiros que lembravam muito as praias da Bahia: do Espelho e Caraívas. Uma ilha lembrando Fernando de Noronha – vista do alto, o mar azul em volta. Uma outra lembrava muito o capitólio – americano. E havia uma com umas flores dando vistas para a torre de Paris, a cidade luz. Ler mais »

Inclusão ou exclusão educacional de deficientes?
O caso dos surdos

Por Natália Frazão (surda) e Flávio Tonnetti (ouvinte)

 

Sob a bandeira da inclusão social, o MEC e diversas secretarias da educação estão desmontando as escolas especializadas em educação de surdos. A idéia é transformar estas escolas em centros de reabilitação de deficientes em geral. Contra esta medida, diversas organizações têm escrito manifestos, que chegam de diversas partes do Brasil.

O problema central desta política pública é a incompreensão de que não existe “deficiente em geral”, e sim deficiências específicas, cada qual com sua particularidade. Juntar num mesmo balaio de gato pessoas com necessidades tão distintas não lhes fará um bem, ao contrário, negará a estas pessoas o direito de serem atendidas em suas especificidades. Ler mais »